segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Hospital Melchiades Calazans em Nilópolis tem nova direção


Hospital Estadual Melchiades Calazans, em Nilópolis
O angiologista e cirurgião vascular, Joé Gonçalves Sestello, está deixando a direção do Hospital Estadual Vereador Melchiades Calazans, em Nilópolis. No cargo desde janeiro de 2007, cinco meses após a inauguração do hospital, o médico deixa na unidade, agora comandada por uma Organização Social, diversos avanços e a certeza de que com boa gestão e cumprimento de metas, é possível oferecer qualidade na assistência pública de saúde. Joé explica que sua saída se deve a razões pessoais e agradece a oportunidade ao secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes. “Agradeço ao secretário estadual pela confiança depositada no meu trabalho. Saio daqui com a certeza do dever cumprido e ciente de que consegui, com o apoio da SES, trazer para essa unidade de grande importância regional, serviços fundamentais para a população de todo o estado”, disse.


As estatísticas demonstram a evolução da unidade que também se diferencia na rede estadual pelo seu atendimento regulado, onde todos os procedimentos são agendados pela Central Estadual de Regulação que atua de forma estratégica com o objetivo de melhorar o acesso do usuário ao Sistema Único de Saúde.


Sob sua direção, o hospital ganhou eficiência e qualidade na gestão, passando a ser referência no Estado do Rio de Janeiro em alguns serviços, como cirurgias eletivas, gestação de alto risco, tratamento de queimados e odontologia para pacientes especiais. O número de leitos, por exemplo, passou de 40 em 2006, para 66 em 2007, chegando em 2011 aos atuais 90 leitos ativos. A regulação das cirurgias, dos serviços especializados e das internações gerou maior rotatividade nos leitos e aumento na quantidade de procedimentos realizados.

De julho a dezembro de 2006, o Hevmec realizou 260 internações, 44 cirurgias e 77 partos. De janeiro a dezembro de 2007, sob a direção de Joé Sestello, o hospital registrou 2.844 internações, 807 cirurgias eletivas e 862 partos. Em 2011, um novo recorde: 4.966 internações, 1.765 cirurgias e 1.966 partos realizados. Em 2012, de janeiro a novembro, foram realizadas 4.573 internações, 1.348 cirurgias e 1.716 partos.

Na avaliação do médico, o bom desempenho se deve à implantação de uma política gerencial com base em indicadores hospitalares. “A gestão hospitalar ajustada e moderna envolve a fiscalização contínua dos serviços prestados, aprimoramento da qualidade, controle dos recursos x oferta de serviços, planejamento para implantação de novos serviços,
controle assistencial rigoroso, etc. Com a definição dos pontos positivos e negativos estabelecemos as prioridades, metas e o perfil de atendimento da unidade considerando a rede onde a mesma está inserida”, explicou.

Nos últimos dois anos foi ampliado o rol de cirurgias eletivas, como as proctológicas (intestino), vasculares (varizes) e fístulas arteriovenosas (preparo para a diálise). O hospital também ampliou a complexidade das intervenções cirúrgicas, principalmente às relacionadas a tumores abdominais.

Equipe preparada a razão do êxito

Sestello ainda credita o êxito no trabalho prestado à equipe de gestão e aos funcionários. “A unidade conta com uma competência técnica exemplar e toda a equipe segue direcionamentos da Escola Nacional de Saúde Pública”.

O trabalho contínuo e eficaz trouxe bons resultados ao longo dos anos.
Em dezembro de 2011, o Hevmec conquistou o diploma de Menção Honrosa do Prêmio Qualidade Rio, concedido pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços às entidades do estado que desenvolveram ações gerenciais inovadoras. A unidade também iniciou em 2011, o processo de Acreditação Hospitalar – ertificação concedida pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) – que visa a implantação de padrões de excelência reconhecidos internacionalmente. Em 2007, o hospital foi eleito como o segundo melhor em qualidade na assistência aos pacientes em uma avaliação feita pela SES em toda a rede estadual.

Para Joé, com capacidade técnica, ferramentas gerenciais adequadas e espírito de equipe é possível transformar uma unidade pública de saúde um exemplo para todo o país. “Acreditamos no SUS e para nós o sucesso de uma unidade depende da vontade de fazer e do conhecimento específico para tornar a ideia uma realidade”, finalizou.


Fonte: Jornal de Hoje


Recebemos do Dr. Domingos Garcia da Costa Filho uma informação valiosa e que enriquece ainda mais a matéria, principalmente no que se refere à eficiência de toda a Equipe e seus excelentes resultados, segundo ele,  desde janeiro de 2010, juntamente com o Dr. Alexandre Vilela, iniciou  um trabalho no atendimento na área de Mastologia, com cirurgias no tratamento do câncer de mama. No ano de 2011 e 2012 ambos os profissionais operaram 104 mulheres. (Luis Pimenta).